Páginas

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

A ARTE DE SUMIR

     Ser um “Morais” é alguma coisa que só quem é entende, aceita e se diverte sempre, mesmo que as mesmas histórias se repitam ao longo de anos e anos. Os demais que não são “Morais”, muitas vezes não entendem o porquê de muitas das coisas e situações, mas, tenho certeza, se deliciam tanto quanto nós com os inúmeros “causos” de nossa família.

     Uma série dos episódios mais famosos trata do “sumiço” de personagens muito conhecidos nossos. Vou tentar ser mais fiel possível aos fatos... Se bem que uma dramatizada vai muito bem com a nossa cara. E como sou uma “Morais” da gema, eu posso.

     Devia ser o ano de 1962 ou 1963. Meu pai e minha mãe estavam casadinhos de novo e moravam em um delicioso barracão na Gameleira. Devia ser uma tarde de sábado bem calma quando chegam ao portão Dona Pilar, Nicinha e Nezita (tenho quase certeza...). Pelas caras das três meu pai falou com minha mãe:

- Zezé, acho que morreu alguém...

Minha mãe aflita foi ter com as três e voltou apavorada para meu pai:

- Marco Aurélio sumiu!!!!

Todas ficaram desesperadas. Meu pai, mais centrado, mais calmo (porque ele, obviamente não é Morais e Morais nestas horas é dramático!), tenta ponderar:

- Que isso Dona Pilar! Marco Aurélio está por aí, deve ter brigado com a namorada, deve estar no sítio.

Minha avó já chorando....

- Impossível!!!! Desde ontem à noite que ele não aparece; no sítio ele não está porque senão ele tinha me avisado... Aconteceu alguma coisa... Ai meu Deus!!!

E, foi aquele chororô das quatro. Meu pai,muito cabreiro, ficou calado.

     Decidiram então que logo iriam para o Calafate na casa mãe. Quando meu pai e minha mãe subiram a rua da praça e avistaram a casa, bom, a casa estava apinhada de gente saindo e entrando, uma balbúrdia digna de catástrofes. Meu pai jura que ficou com muita vergonha por ter que participar desta cena, mas casado de novo não podia argumentar muito. Resolveram juntar forças tarefas, todos procurando Marco Aurélio em tudo o que é lugar. E pro mais que procurassem Marco Aurélio não aparecia. No sítio não precisava ir, pois vovó tinha certeza de que ele não estava lá. Até na Medicina Legal foram... E nada de achar Marco Aurélio. Depois de muito choro, muito desespero, muito blá, blá, blá meu pai deu a idéia de irem ao sítio só para desencargo de consciência. Resolveram ir, pois não tinham mais nada a perder. Ao chegarem ao sítio avistaram um rapaz com uma garrafa da “marvada” na mão totalmente embriagado olhando abestalhado para eles e...

- Rê...rê, rê, rê, rê, rê..... Briguei com a Ivone...

     Tudo resolvido, Marco Aurélio, o “bendit-é-u-fruto” de cinco filhas estava de volta para casa são e salvo.

     Os anos se passaram e aí já devia ser 1979 ou 1980. Estávamos morando no Alípio de Melo quando o telefone toca de madrugada. Como não tínhamos extensão o telefone ficava na copa. Minha mãe na mesma hora cutuca meu pai.

- Vai lá atender Blair, deve ter morrido alguém; telefone tocando nesta hora só pode ser isso.

Meu pai vai atender ao telefone e escuta minha avó. Pacientemente vira para minha mãe (que a esta altura já estava ao seu lado) depois de escutar a primeira fala de minha avó e diz:

- M a r c o  A u r é l i o  sumiu de novo!

A explicação de minha avó era que Tio Marco e Tia Nina tinham deixado o Marquinhos com o Sr. Paulo (pai da tia Nina) de tarde e não tinham voltado até aquela hora. Meu pai pacientemente tentou argumentar:

- Que isso D. Pilar, Marco Aurélio deve ter ido à um motel com a Nina!

Ao que minha avó na mesma hora retrucou:

- Marco Aurélio não faz estas coisas! Aconteceu alguma coisa com os dois.

Bom, não precisa nem dizer que ninguém mais dormiu lá em casa. De 30 em 30 min. era telefonema de cá para lá, de lá para cá:

- Apareceu? Tem alguma notícia?

- Não! Nada ainda!

     E o Marquinhos, muito novinho ainda, devia estar aos prantos, pois me lembro bem que ele não gostava de ficar com ninguém.

     Amanheceu o dia e nada do Tio Marco Aurélio aparecer... Acho que foi lá pelas 10h da manhã que chegaram; ele e tia Nina com um sorriso no rosto e transbordando felicidade.

- Mas o que aconteceu com vocês? Onde vocês estavam?

- Uai a gente tava no motel.

     Meu avô era daqueles caras que achava que homem ser machista era pouco. Na hora não falou nada porque não conseguia, mas no dia seguinte chamou o Tio Marco Aurélio para uma conversa séria no escritório. Reza a lenda que o aconselhou muito falando que motel era para as outras não para levar a esposa.

     Que eu me lembre Tio Marco Aurélio parou com essas coisas de sumir; pelo menos eu nunca mais tive notícia de mais um episódio seu.

     Já Tia Regina vira e mexe apronta das suas. Parece que estes genes de sumiço foram para os dois últimos irmãos.

     Tudo começou com o namoro proibido com Tio Carlos. Meu avô não queria de jeito nenhum e uma bela tarde de um dia de semana qualquer Tia Regina foi vista andando a esmo pela Av. Augusto de Lima. Pelo jeito que ela estava parecia que ia fugir de casa. Tio William, que não é Morais, foi quem viu. Segundo ele, ela estava toda descabelada, mas temos que dar aí um desconto, pois Tio William também é muito exagerado. Ela jura que não, mas... O certo é que o casório aconteceu, não sei se por causa deste sumiço, mas que deve ter contribuído lá isso deve.


     De lá para cá, Tia Regina deve ter dado esses sumiços umas 10 vezes ou mais. É só ter uma briguinha com o Tio Carlos que ela some. No início todos ficavam muito preocupados mas agora achamos meio normal. Quase fazemos aposta para descobrir em qual casa ela está escondida e quanto tempo vai durar o sumiço. Agora mesmo enquanto escrevo estas linhas Tia Regina está em um de seus sumiços. Eu já descobri em qual casa ela está, mas não conto para ninguém. Na minha opinião esta é uma forma dela apimentar a relação. E olha que dá certo. Pois sempre eles voltam e ficam muito felizes até todos se perguntarem novamente: Onde será que a Regina se meteu desta vez?



6 comentários:

  1. Respostas
    1. Gostou? Tudo verídico. Este da foto com papai noel é o tio Marco com o Marquinhos no colo.

      Excluir
  2. Genteeeeeee ninguém mais vai comentar nada não??????

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Adoreeei... A parte que você diz "Morais nestas horas é dramático!" é a mais pura verdade.. Você que o diga né dona Ivana Morais... hahahahahahahaha....

    ResponderExcluir
  5. Aguardem que vem mais texto. Estou me lembrando de muitos casos... Vocês vão delirarrrrrrrrrr111

    ResponderExcluir